domingo, 18 de maio de 2008

"CADÊ" AS CASAS POPULARES DE CARNAÚBA DOS DANTAS?

Carnaúba dos Dantas/RN - A placa mostrada neste post, anuncia uma obra do governo estadual - em parceria com o governo federal, executada com recursos públicos administrados pela CEF.
Na placa, está "quase" tudo bem "bonitinho".
Logomarca do governo do Estado, da CEF, do programa Casa da Gente, valor da obra, prazo de entrega, número de casas a serem construidas e empresa construtora.
Não conta na mesma, o número da obra.
E o que é pior. A empresa contratada iniciou os serviços de edificação das 80 unidades a mais de um ano e não as concluiu, estando o que foi construido sendo deteriorado pelo tempo e pela ação de vândalos.
Segundo se comenta em Carnaúba, o motivo da não conclusão dos serviços é a falta de pagamento, por parte dos contratantes à empresa contratada, em razão da existência de pendências na legalização do terreno, onde está sendo edificado o conjunto.
Bacana!
Se existem questionamentos legais relacionados a este problema, como é que houve a liberação de recursos para o início dos trabalhos?
Com à palavra os responsáveis pelo Projeto Casa da Gente.
.................................................

3 comentários:

Anônimo disse...

Caro Bira, como carnaubense fico triste com tanto descaso.É lamentável a forma como foi conduzida a implantação dessa obra tão relevante para a população, principalmente, os mais necessitados que são os prejudicados diretos. Não vejo um futuro promissor para o nosso povo quando observo o atual quadro político, pois dos pré-postulantes ao cargo de prefeito o provável é que nosso futuro chefe do executivo será um(a) desses(as): Alexandre, Tida ou Dr. Sérgio e nenhum dos três demonstra interesse real pela coisa pública ou ao menos não sabe lidar com o cargo que ora pleiteiam e, desse modo, acho que Carnaúba vai permanecer estagnada sem ter telefonia móvel, adutora, serviços de saúde e educação ao menos razoáveis.

Anônimo disse...

Bira isso é, no mínimo, revoltante. Parabéns a você por está tocando num assunto que não vem à tona porque os beneficiados diretos com essa obra são justamente as pessoas mais desvalidadas tanto de conhecimento quanto de poder aquisitivo e, assim, não se manifestam e também não recebem a devida atenção dos nossas autoridades competentes.

Servidor contratado: a máquina de produzir votos disse...

Caro Bira, outro fato também relevante em Carnaúba dos Dantas diz respeito à contratação de diversas pessoas como funcionários sem concurso público por tempo indeterminado, o que já perdura cerca de 11 anos e que é do interesse dos políticos que permaneça assim até que o Poder Judiciário determine a realização do concurso. Somos sabedores que o servidor contratado deve ser por tempo determinado para atender necessidade temporária de excepcional interesse público, de forma que a contratação deve ser permitida somente quando for para suprir a ausência de servidor concursado, em casos de licenças e férias, tão somente, ou quando houver necessidade da ampliação na prestação do serviço público, e não houver servidor concursado para o cargo (quando uma obra é inaugurada, por exemplo). Todavia, em Carnaúba dos Dantas o grupo de servidores contratados é mais ou menos igual ao de efetivos, sendo que os servidores contratados são os que fazem a grande diferença nos resultados das eleições no município porque como essas pessoas precisam do emprego passam de simples eleitores a cabos eleitorais desesperados, haja vista que a manutenção no cargo depende da vitória de seu candidato e o pior é que recebem apenas R$ 240,00 mensais e seus salários são sempre pagos com atraso de 2 ou 3 meses e, mesmo assim, ficam amordaçados porque do contrário vão para o olho da rua (subserviência e humilhação), observando- se que a maioria dessas pessoas estão ficando dependentes desse sistema e quando por determinação judicial for realizado concurso no município estaremos diante de um outro problema social que vai ser o desemprego de diversas pessoas que ao longo dos anos estão ocupando um cargo e vivendo como se fossem funcionários efetivos. Desse modo, observa-se que dificilmente o quadro político do município sofrerá alteração nessas eleições porque os servidores contratados são como uma máquina de votos, ou seja, pra permanecer tem que produzir resultados.