sábado, 23 de maio de 2009

AGENTE DO IBAMA MATA CAÇADOR EM POSTURA DE AVOANTES

Jandaira/RN - Uma ação fiscalizatória do IBAMA na noite de ontem (22), em uma postura de avoantes existente nesse município da região central do nosso estado, resultou na morte de um caçador que até o presente momento não teve o seu nome divulgado.
O autor do disparo foi - possivelmente - um agente do orgão ambiental federal, de nome Severino e que é lotado na Superintendência Estadual do Rio Grande do Norte. O agente ambiental estava no local em missão de proteção à área de postura (pombeiro).
Pelo que nos foi informado, após o disparo que vitimou o caçador, o Agente do IBAMA evadiu-se do local no intuito de livrar o flagrante, devendo se apresentar nas próximas horas acompanhado do seu advogado.
A redação do blog está tentando um contato com à assessoria de imprensa do órgão ambiental visando obter mais detalhes sobre o lamentável acontecimento.
...........................
- ATUALIZAÇÃO -
Às 19:05 horas.
Trata-se de Emanoel Josian Barbosa, conhecido como "Neguinho", o caçador morto na ação fiscalizatória efetuada por Agentes do IBAMA - Superintendência Estadual do RN.
"Neguinho" residia no município de Jandaíra, e seu sepultamento deverá ocorrer no dia de amanhã no cemitério local.
.................................................

Um comentário:

#JuH~JuH disse...

O rapaz que foi morto cruelmente pelo funcioario do IBAMA, era de uma família de sete filhos e morador do assentamento Boa Vista situado nas proximidades do local. Ele nunca foi um caçador profíssional como foi citado em alguns jornais da capital. Entretanto ninguém procurou saber porquê ele caçava, sendo filho de agricutor com toda lavoura perdida pela chuva,foi caçar para ter o que comer e acontece uma desgraça dessa. O assentamento está alagado e o acesso as cidades vizinhas está cada vez mai difícil. Segundo moradores de povoados vizinhos, todos os rapazes dessa família são meninos que tentam ajudar aos pais no que podem e mesmo que fosse cassador o IBAMA não tinha o direito de fazer o que fez, pois eles estão alí para reprimir e não para matar. ¨UM erro não se justifica com outro¨.
Rodi Paiva